Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Diário

por Luís Naves, em 08.01.16

Um diário devia servir para contar a parte da vida que não podemos confessar a ninguém, sobretudo a nós próprios. Sempre quis escrever uma espécie de diário, mas nunca o fiz por sentir que isso não é possível. A ficção é uma mentira verdadeira em que ficamos expostos à curiosidade alheia, mas ninguém nos leva a sério; no diário, tudo é pomposamente mentira, ou assim parece, pois o diarista esconde-se atrás de cenários elaborados e histórias complexas. Enfim, o diário é a suprema invenção de uma personagem, o próprio autor, tal como ele se imagina nas suas limitações e sonhos, nas suas fraquezas raramente descritas, nas pequenas invejas e medos. E que interesse pode ter a personagem do autor? Em princípio, pouco, pois aquilo que verdadeiramente importa na literatura é o que está no exterior da esfera íntima de quem escreve, o que se observa, o que se vive e o que se imagina. Raramente ele mesmo, ou é a vaidade que se espalha pelas páginas. Talvez seja assim, não sei. Isto, de qualquer forma, nunca será um diário, pois a verdade não passa de uma aproximação, um ponto de vista. Leiam estas linhas como peregrinação pelo interior do que está fora de mim, deambulações vagas e textos vários, observações, prosas oficinais, nada para levar a sério, reflexões de que me envergonharei, sempre aquém do que imagino, imperfeito, impreciso e em movimento, também sufocante, como poeira solta no vento.

Autoria e outros dados (tags, etc)


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.01.2016 às 11:19

Interessantíssimo o seu texto. Fiquei curiosa, confesso com os seus próximos posts.
É difícil para quem escreve, por vezes selecionar o que considera demasiado íntimo e colocar ao cuidado de olhares alheios.
Continue.
Imagem de perfil

De Olavo Rodrigues a 10.01.2016 às 14:57

Fiquei agarrado à sua escrita como se tivesse descoberto um novo livro viciante. Fico à espera de mais capítulos! Muitos parabéns pela qualidade! :-)
Imagem de perfil

De Anti-Social a 11.01.2016 às 09:58

"nada para levar a sério", por ser tão verdadeiro e sem filtro que não o queremos assumir. Nem mais. Boas "viagens" por cá.

Comentar post



Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D