Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Novela incompleta (4)

por Luís Naves, em 06.04.16

Norma parecia mais vulnerável. Sentara-se na poltrona, muito direita e quieta, como se pensasse intimamente em dilemas profundos. Tinha os olhos fixos na sua própria imagem no espelho. E ao observá-la de fora, reflecti, com nitidez, que ela não se agarrava à vida à minha maneira, pois eu nem precisava da consciência para me prender a cada novo sopro de ar. O que seria para ela existir? Não era apenas experimentar a passagem do tempo, a respiração, o instante seguinte, a sequência dos dias e dos movimentos, o pensamento seguinte, nada disso, de súbito era tudo mais vasto, havia outros horizontes, a preocupação de entrar totalmente na eternidade daquele momento, a vibração de cada fibra do corpo, a imortalidade do eu no instante efémero.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D